A quarentena e o isolamento social promovidos pela crise mundial do coronavírus, tornaram inviável a ida aos cinemas no Brasil e em outros países do mundo. Mas isso não significa que os cinéfilos de plantão precisam ficar sem novos conteúdos nesse período. Atração de Risco é o mais novo longa nacional que estreou recentemente em várias plataformas de streaming. O filme é produzido pela Perocini Filmes, com produção associada da Forasteiro produções.

O enredo retrata a vida do publicitário Carlos, interpretado pelo Diretor Renato Siqueira e sua esposa Fabiana, representada por Camila Esteves, que após participarem de um grande evento na empresa, tornam-se alvos de uma obsessão doentia pelo casal formado por Jessica (Angelica Oliveira) e _ (Miguel Nader). O filme é composto por várias cenas de ação e suspense, e traz uma interessante, visto que o gênero ainda busca popularizar-se no cinema brasileiro.

De acordo com Ernesto Andreghetto, Diretor da Forasteiro e Produtor Executivo do longa, é essencial apoiar novos projetos no cinema independente. “Estamos em um momento de grande riqueza e crescimento de coletivos de audiovisual. Quando esses grupos não têm apoio ou estrutura, fica difícil projetar as ideias na tela”.

foto filme atração de risco
Foto oficial/Divulgação

Além disso, Andreghetto conta que ter Beto Perocini a frente da produção principal, e a ideia ousada em apostar no suspense como gênero, foram essenciais para a parceria no projeto. “Eu conheço o Beto há bastante tempo, já formamos diversas parcerias, e eu sei da sua qualidade e compromisso. Nós tínhamos o equipamento necessário e ele a ideia de produzir o suspense. Não tinha como dizer não”, confessa.

Ao passo que as gravações do longa ocorriam, a participação e as decisões de Ernesto foram essenciais para o desenvolvimento do longa. “Muita gente não sabe bem como funciona a produção associada, mais conhecida no cinema como produção executiva. Geralmente acham que é só fornecer os materiais e pronto. Na verdade temos que ter bastante diálogo com o Diretor e Produtor do filme. Muitas vezes eu tive até que barrar algumas ideias e cenas, porque seria inviável gravar”, conta Andreghetto, ressaltando que é um trabalho minucioso. “Você tem que ter um olho no roteiro e outro no material e dinheiro disponíveis. Basicamente, o orçamento e a estrutura te mostram bastante até onde você pode ir”, complementa.

Por dentro da produção

Foram utilizadas diversas locações para que o longa Atração de Risco tomasse forma. As captações foram feitas com câmeras de alta qualidade, como a Panasonic EVA 1, filmadora específica para cinema, e uma das exigidas por algumas plataformas de streaming como requisito para que o produto seja veiculado. Além dela, outros equipamentos somaram para que o resultado saísse com mais qualidade. Acompanhe abaixo um teaser do making-off de Atração de Risco.

Antes de tudo, é importante ressaltar que é sim possível fazer cinema de qualidade com equipamentos mais simples, especialmente quando se tem orçamento limitado, o que é a realidade em boa parte dos coletivos de cinema independente. Porém, como falamos acima, o roteiro e a ideia das cenas precisam adequar-se ao material disponível.

Seja como for, produzir cinema no Brasil é um desafio diário e que deve ser valorizado e prestigiado pelos profissionais e público. Falando nisso, aos que desejarem assistir Atração de Risco, o longa está disponível nas seguintes plataformas: Looke, NOW, Google Play, iTunes, Vivo Play e Microsoft Store.

Quer ver mais conteúdos como esse? confira o nosso blog.

Gostaria de um orçamento para produção de vídeo para você ou sua empresa? contate-nos!

Comments are closed.